terça-feira, 27 de julho de 2010

Rock pelo Niemeyer e a cultura como prioridade


por Fabrício Nobre

Antes de mais nada queria dizer, em nome do grupo responsável pela mobilização #rockpeloniemeyer, que somos gratos mesmo pela participação de todos. Muito obrigado aos que chegaram antes de tudo começar e deram uma mão lá na montagem; aos que ficaram depois para desmontar; aos que divulgaram online, que discutiram nos fóruns virtuais e nos muitos papos que tivemos antes, durante e depois nos lugares onde o rock rola na cidade; aos que tocaram; aos que foram para tocar e não tocaram; aos que seguraram faixa; aos que subiram no palco e falaram; aos que levaram ofícios; aos que ligaram pedindo suporte para as secretarias; aos que foram lá curtir, participar, beber, gritar e etc. Foi excelente a participação, como da outra vez, e como tem sido crescente nos shows, seminários, festas e festivais em Goiânia Rock City.

Sinceramente consideramos que a manifestação teve um bom resultado prático, e talvez um melhor ainda subjetivo. Acompanhando a imprensa no final de semana e na manhã de hoje, percebe-se que algumas coisas de fato estão acontecendo. A jornalista Fabiana Pulcineli, da coluna Giro de O Popular, por exemplo, publicou nesta segunda-feira, 26 de julho de 2010:


“Licitação prevê reparos em todos os prédios do Niemeyer

Com abertura prevista para hoje, às 9 horas, a nova licitação para conclusão do Centro Cultural Oscar Niemeyer prevê obras em todos os prédios do complexo. Inaugurado em 2006 antes da conclusão e fechado desde 2008, o centro terá reparos tanto pelos serviços que não foram executados como de desgaste pelo abandono e a conseqüente falta de manutenção. Haverá correções de infiltrações, pinturas em todas as instalações e troca de pisos, entre outros reparos. O gasto mais alto, estimado em R$ 705,5 mil, será com o Palácio da Música, que chegou a ser aberto para eventos durante dois anos. O orçamento total é de R$ 2,14 milhões. O prédio da administração terá investimento de R$ 545 mil, o museu, R$ 230 mil e o Monumento aos Direitos Humanos, R$ 86,5 mil só em pintura. Haverá ainda serviços de manutenção do sistema de ar condicionado, em que foram identificados problemas, e instalação de elevador para uso de portadores de deficiência.

Mais três meses

Se não houver recursos contra a licitação, a obra do Niemeyer pode ser iniciada na primeira quinzena de agosto, dizem governistas. O edital prevê prazo de 90 dias para entrega.

Promessas

Os dois principais candidatos ao governo, Iris Rezende (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB) prometem abrir o centro cultural imediatamente. Para cobrar em 2011, caso o governo não consiga reinaugurar este ano.”

Já ouvimos a mesma promessa. Não é exatamente o que pedimos, mas dá para ter certeza de que embaixo do tapete em que o assunto estava ele não está mais. E que se os próximos governantes tivessem a idéia de varrer para baixo de outro tapete qualquer vai ser impossível, uma vez que centenas de pessoas se mobilizaram pela ação e vão continuar cobrando até que tudo se resolva completamente. A imprensa escrita deu pelo menos 4 meias páginas nos principais jornais da cidade, as rádios fizeram entrevistas e pesquisaram, as emissoras de TV registraram toda a movimentação e o assunto foi tópico freqüente em todos os cantos da web.

A notícia não nos alivia, não resolve, mas dá para sentir que algo está se mexendo. E que esse governo, e qualquer outro que entrar, sabe que não poderá mais fazer qualquer ação utilizando recursos públicos na conta da cultura sem ter gente em cima, fiscalizando, cobrando e exigindo.

Não desistimos, e nem vamos, dos pedidos que encaminhamos ao governo de Goiás: abertura imediata do espaço (mesmo em fase de acabamento e reformas, realmente acreditamos na viabilidade disso) e nomeação de um gestor para o espaço (que pode ser feita, e deve mesmo como espaço fechado, uma vez que alguém tem que ser o interlocutor, e responder pelo espaço perante a sociedade). Vamos levantar essa bola em todas as manifestações e cobranças que forem feitas em outras ações públicas presenciais (como a planejada pelo Fórum Permanente de Cultura para o dia 10 de agosto), nos espaços virtuais, nas cobranças diretas via ofício.

A idéia agora é estar cada vez mais conectado com a discussão nacional, trazendo a cultura como prioridade dentro do debate político num ano eleitoral, muito alinhado com que diz o manifesto do PCult “O Partido da Cultura é em uma mobilização nacional, de abrangência ampla e irrestrita a todo o movimento cultural, que procura agrupar entidades, instâncias e foros de discussão e deliberação em torno de um debate que visa identificar candidatos, a concorrer às Eleições 2010, realmente comprometidos com as pautas estratégicas da cultura em nosso país.”

E cada mais ainda intensificar as realizações e produções culturais de todos os participantes da ação #rockpeloniemeyer, que é nisso que somos mesmo especialistas: produzir e realizar cultura, buscando literalmente nossos espaços.

* Fabrício Nobre, produtor cultural, presidente da Associação Brasileiras de Festivais Independentes #rockpeloniemeyer foi realizado por ABRAFIN, Ambiente Skate, Bicicleta Sem Freio, Brasil Central Music, Circuito Fora do Eixo, Coletivo Pequi, CUFA, Family Graff, Fósforo Cultural, Hocus Pocus, IGC, Monstro, Panacéia Filmes, República Estúdio, PCult, Sertão Feelmes e Studio K

Um comentário:

Rosane ChonChol disse...

gosstei muito o Partido da Arte se une ao Partido da Cultura
www.partidodaarte.blogspot.com